Capturar

A luta pela apropriação da causa indígena no Brasil

5 Flares Twitter 0 Facebook 5 Google+ 0 LinkedIn 0 5 Flares ×

Há uma luta pela apropriação da causa indígena no Brasil, em várias regiões do país, travada por oportunistas. Oportunistas são a pior espécie de criatura. Eles farejam situações onde existem desvalidos, desamparados, excluídos, pessoas que não tem a quem recorrer para defender seus direitos, e se apresentam a elas como seus salvadores, seus benfeitores, como os seus heróis. Quando fazem isso, é porque já tem em mente algum  projeto para tirar proveito daquela situação em benefício próprio, já arquitetaram um modo de se promover, ou de ganhar dinheiro, espaço na mídia, tornar-se uma celebridade ou algo assim. Infelizmente muitos deles estão entre os próprios indígenas, levando-os a crer, em sua ingenuidade, que serão conduzidos para uma solução, para um desfecho de seus problemas, mas na verdade são conduzidos a andar em círculos.

Capturar

Acabo de testemunhar uma reivindicação absurda de DIREITOS EXCLUSIVOS DE EXIBIÇÃO do filme acima, CUJO CÓDIGO para inserí-lo em qualquer página da web, além das opções de enviar por e-mail ou até mesmo fazer download, está disponível no o site da CÂMARA DOS DEPUTADOS. O reivindicante diz-se dono de direitos garantidos por um CONTRATO com o site da CÂMARA DOS DEPUTADOS, que dá direitos exclusivos de reprodução. Isso ocorreu no conhecido blog Combate Racismo Ambiental de Tânia Pacheco, que muito contribui para denúncia e artigos sobre questões de exclusão social de minorias e devastação ambiental, que conta com colaboradores de peso como Telma Monteiro e outros ativistas conhecidos, militantes em defesa das causas sócio-ambientais.

Uma semana depois de ter postado este vídeo aqui, o dito detentor dos direitos me ligou, pedindo para removê-lo. Disse que estava pedindo educadamente que tirasse para que não fosse forçado a me acionar judicialmente, porque teria PERDAS FINANCEIRAS, devido a um contrato que ele tinha assinado com alguém, cedendo exclusividade de exibição. E assim o assunto vai rendendo bastante no bolso de alguns, certamente não em benefício de TODOS os índios. Atendi o pedido, mas acreditem, ninguém perdeu grandes coisas…

Texano na Amazônia

Mas nada se compara ao cowboy texano que tem a CARA-DE-PAU de se apresentar como “O Salvador da Amazônia”. Trata-se de John Cain Carter que veio direto da guerra do Iraque para a fazenda de seu sogro, onde esteve ao lado  dos fazendeiros que contratam pistoleiros para extermínio dos moradores da região do Alto Xingú. Ele hoje administra a ONG Aliança da Terra em um confortável escritório comercial em Goiânia, conforme relata neste artigo de PLANETA SUSTENTÁVEL . Embora tenha enfrentado índios e toda espécie de confrontos territoriais característicos daquela região, ele alega que só desistiu de sua fazenda por causa de um quase bem sucedido ataque de cascavel à sua filha que na época era um bebê.

Ele garante que ensina aos fazendeiros a monitorar a devastação e a produzir de modo “sustentável” naquela região, onde está a maior floresta do planeta, onde é impossível fazer QUALQUER INTERVENÇÃO sem causar um impacto desastroso. Ele se coloca como um ativista que defende a Amazônia, enquanto promove o projeto do Estado que propõe o MONITORAMENTO do DESFLORESTAMENTO da “Amazônia Legal” – PRODES . O cowboy está preparando um livro onde relatará suas experiências na Amazônia, e garante que será um best-seller. Certamente espera fama e dinheiro, visibilidade na mídia e mais projeção para seu trabalho de assessoria e suporte para a política totalitária que o Estado vem implantando nas regiões de conflito, como documenta o vídeo abaixo.

Encerramos com o documentário AMAZÔNIA, UMA REGIÃO DE POUCOS, sobre como jornalistas e ambientalistas foram recebidos pelos fazendeiros da região do Rio Preto, no noroeste do MATO GROSSO, onde uma comunidade indígena, que recebe suporte do GREENPEACE, pediu ajuda para negociação da questão da demarcação de suas terras com os fazendeiros. É este o cerco impenetrável que é feito em torno dos territórios indígenas, onde os donos das terras demarcadas ficam ilhados, sendo intimidados, espoliados, roubados, invadidos, violados de todas as formas. Quando pedem ajuda, quem deseja chegar até eles para REALMENTE SOCORRÊ-LOS, esbarra nesta blindagem, que conta com a conivência do ESTADO e das autoridades locais. Vídeo compartilhado por JESUS YBARZO .

Posted in Cultura, Cultura de Raíz, Ecologia, Extermínio humano, Genocídio, Meio Ambiente, Política Nacional and tagged , , , , , , , , , , .