CHEVRON MATA, DESTRÓI,ENVENENA e NINGUÉM IMPEDE!

São 25 autuações por vazamentos em águas brasileiras. Foram estipuladas multas bilionárias, a título de indenização pelo envenenamento do nosso litoral, em duas ações judiciais consecutivas. As 25 autuações são por diversas irregularidades, como usar equipamento sucateado, perfurar até a camada do Pré-Sal no Poço do Frade SEM A PERMISSÃO da  Agência Nacional do Petróleo (ANP), e mais uma infinidade de atitudes que são UMA AFRONTA  à nação brasileira, típica de quem está acima de qualquer tipo de punição, protegido pelo poder que comanda TODOS OS GOVERNOS, inclusive o brasileiro.

derrame-chevron-brasil-nov2011-greenpeace

O Brasil perde royalties que o colocariam em situação de vantagem econômica internacional, o que me leva a crer que essa situação toda é criada justamente com este propósito, danificar um patromônio que está fazendo o Brasil emergir rapidamente. Nosso litoral, além de ser um manancial enorme de petróleo, é também o melhor destino de praias do mundo, sendo Búzios hoje detentor deste título, que foi anteriormente de Ibiza. Mais sério do que isso é o desastre ambiental, pois a BACIA DE CAMPOS é rota migratória de animais silvestres, como as BALEIAS JUBARTE, BALEIA BRANCA DO SUL e BALEIA-DE-BRYDE, além de 20 a 25 espécies de golfinhos e pequenos cetáceos ameaçados de extinção. O local do acidente também é parte da via migratória de muitas espécies de aves marinhas. Ficamos suspeitando que essa ação faz parte de um plano de extermínio premeditado…

A TRANSOCEAN, operadora da sonda no Poço do Frade, tem um histórico de desastres avassaladores, como o ocorrido no Golfo do México em 22 de abril de 2010, pelo qual entrou em guerra judicial contra a BRITISH PETROLEUM (BP), ambas tentando atribuir à outra a responsabilidade pela explosão, que deixou 11 mortos, um rombo financeiro incalculável e o título de MAIOR DESASTRE AMBIENTAL DA HISTÓRIA DOS EUA. Minha opinião é que a “batalha jdicial” foi um jogo combinado entre as duas companhias para preterir as indenizações, dispersar os inquéritos e ganhar tempo para… só Deus sabe o que mais! Tem coisas que é melhor nem falar, mesmo porque, pra bom entendedor, um pingo é letra.

US-BLAST-OIL-ENERGY-SINKS

Ainda assim não tem quem faça isso parar, é como esse fogo: Ninguém apaga. Ele queima até na própria água, não há quem impeça que ele siga devastando, consumindo, devorando. Pensei em colocar o vídeo feito pelo Greenpeace nesta ocasião, quando ao sobrevoar a mancha de óleo, captou imagens de um cardume de golfinhos sendo queimados vivos, tentando desesperadamente livrar-se do óleo em chamas, grudado em seus corpos, mas preferi não ver aquilo novamente. Não precisamos ver mais nada. Optei também em dar ênfase ao que a CHEVRON, chamada de  CHERNOBIL DA AMAZÔNIA,vem causando aos equatorenhos nativos da região amazônica. Há vinte anos as comunidades nativas lutam na justiça para impedir a CHEVRON de devastar, envenenar, matar, promover deficiência física e afligir aos 30.000 indígenas e agricultores da amazônia equatorenha. eles também lutam por indenizações e restauração do meio ambiente do qual dependem para viver.

O fato mais absurdo deste contexto é que os nativos, assim como a floresta e sua fauna, estão morrendo porque NÃO EXISTE MAIS ÁGUA POTÁVEL na região! Não há água limpa, nem para beber, nem para a irrigação. NA AMAZÔNIA! Eles estão lá, HÁ VINTE ANOS! Não há quem os aranque de lá. A terra da floresta está sendo infiltrada, através dos rios, por água contaminada com óleo! Convença-me de que não é de propósito, uma estratégia para contaminar os mananciais e promover o genocídio em massa! Veja que é um cerco, há um mapeamento estratégico sendo executado. São riquezas inalculáveis, que ainda tem donos… donos que atrapalham a invasão e o saque. São proprietários numerosos e obstinados em lutar pelo que é seu. Somos os 99%!

CÚPULA DOS POVOS – OS 99% EMERGEM DAS PROFUNDEZAS

Emergindo das Profundezas - e-ditora
A primeira vez que vi essa foto de RENATO SOARES não consegui tirar os olhos dela. Lembrei de nadar em igarapés cristalinos como este, lá nessa região de Goiás e Mato Grosso. Lembrei de estar em algumas aldeias, conviver um pouco com os donos de “nossas” terras, acompanhar sua luta de perto. Estive também com os Guaranis da aldeia de KRUKUTU em Parelheiros, São Paulo, em 2003. Fui chamada por funcionários da FUNAI na ocasião em que os nativos de Krukutu expulsaram a médica que fazia atendimento no posto de saúde da aldeia. Ela não poderia mais entrar na lá, sob ameaça de ser punida fisicamente em caso de desobediência à ordem do cacique. Então disseram que só deixariam entrar lá alguém que pudesse ajudar o PAGÉ a cuidar dos problemas de saúde da aldeia, alguém que fosse aprovado por ele. Os problemas eram graves, incluíam casos de alcoolismo e suicídios de jovens. Não pude ficar muito tempo lá, embora tenha sido aprovada pelo Pagé e obtido bons resultados com acupuntura e orientação alimentar. A FUNAI pagou meu conbustível apenas nas 2 primeiras semanas, depois fiquei tentando receber deles, quando me comunicaram a decisão deles de não mais me reembolsar. Após 2 meses não tive condições financeiras de dar continuidade ao projeto. Foram, talvez, os 2 meses mais sofridos da minha vida. Foi certamente a despedida mais dolorosa de todas as muitas despedidas que vivi. Sofri muito durante várias semanas depois disso, demorou pra curar a dor.

Este vídeo anuncia o despertar destes povos, que começa a buscar por organização, pois tem algumas lideranças capacitadas para representá-los junto ao MINSTÉRIO PÚBLICO, nos fóruns e congressos de discussões dos assuntos que os afetam, QUANDO LHES É DADO VOZ E DIREITO DE REPRESENTAÇÃO. Existe um movimento de organização mundial das nações indígenas, um conselho mundial intertribal, mas suas lideranças mantém um certo revesamento entre si, por questões de segurança. No momento, há uma concentração em torno do líder brasileiro, o Cacique MARCOS TERENA, por ocasião do RIO + 20, evento que foi oficialmente destituido da condição de SER REALMENTE REPRESENTATIVO dos interesses dos povos em questão, e de não ter idoneidade para facilitar as discussões ou pautar assuntos gravíssimos, assuntos estes que vão muito, mas muito mais além de questões ambientais. Queremos discutir genocídio em massa, invasão e desapropriação armada de propriedade particular, abandono de incapazes, queremos falar sério, estamos cançados do teatro de sempre.

MARCOS TERENA - Cúpula dos Povos

MARCOS TERENA, que assinou a CARTA DA TERRA há 20 anos, no RIO-92, onde foi regsitrada a DECLARAÇÂO DA ALDEIA KARI-OCA,  destruida por um INCÊNDIO CRIMINOSO na ocasião do RIO-92, o que sensibilizou as Nações Indígenas de todo o mundo. Tratava-se de UM TEMPLO construido para abrigar a CONFERÊNCIA MUNDIAL DOS POVOS INDÍGENAS, um encontro paralelo ao Rio-92 entre Nações Indígenas de todo o mundo, construida a partir da utilização dos  segredos de engenharia e arquitetura das florestas. A KARI-OCA original foi construida na em JACAREPAGUÁ, através do compartilhamento de conhecimentos e cooperação entre 7 povos do Alto Xingu/MT e o povo TUKANO do Amazonas, tornando-se símbolo da resistência dos povos à tirania e ao genocídio de nosso povo.

No último dia 07 de maio, de Belém/PA, as lideranças indígenas declararam oficilamente que o evento paralelo ao RIO +20 considerado OFICIAL, onde as verdadeiras discussões dos assuntos pautados PELOS POVOS INDÍGENAS e por eles de fato discutidos será a CÚPULA DOS POVOS, que espera reunir 30 mil pessoas no ATERRO DO FLAMENGO, no Rio de Janeiro, até o fim do encontro, a realizar-se de 15 a 23 de junho. Veja os detalhes do evento no SITE OFICIAL da  CÚPULA DOS POVOS . No evento “oficial” do Rio+20 a “reedição” da aldeia KARIO-OCA está sendo montada, para que a conversação intertribal de todas as Nações Indígenas do mundo possa FINALMENTE acontecer. em Jacarepaguá, no mesmo ocal onde a original foi destruida, estarão reunidos cerca de MIL indígenas de aldeias de todas as nações do mundo, tais como Nigéria, Japão e Canadá, além do Brasil. Marcos Terena está no comando deste projeto, o que garante sua validade, ainda que esteja na agenda do evento “oficial”, o Rio+20. Seria um pedido de descupas? Não aceitamos.

KARI-OCA-Rio+20

Austália

NASA E NOAA EMITEM ALERTA PARA INUNDAÇÕES

2005  foi o ano mais quente registrado, desde que inciaram as medições, em 1880. A NASA e o NOAA, os dois maiores observatórios climáticos dos EUA, apontam que 2011 já alcançou esta marca, e concordam que as emissões de CO2 são a principal causa do fenômeno conhecido como AQUECIMENTO GLOBAL. A imagem ao lado foi captada via satélite pela NASA e ilustra as dimensões catastróficas das enchentes que ocorrem neste momento na AUSTRÁLIA, as quais não podemos deixar de relacionar com as catástrofes que ocorrem simultaneamente na região serrana do estado do Rio de Janeiro. A Defesa Civil contabiliza, até 14/01/2011 540 mortos, além de milhares de desabrigados e feridos, no que é a maior tragédia natural da história do Brasil. Os principais países emissores de CO2 hoje são a CHINA e os EUA, articuladores entre si de políticas não oficiais para ignorar as mobilizações internacionais das instituições encarregadas de implantar políticas e leis de regulamentação planetárias para estas emissões.

O atual Presidente do Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos Deputados dos EUA, FRED UPTON, que antes de assumir seu cargo tinha um discurso preocupado com o “grave problema” das mudanças climáticas globais, acaba de fazer uma declaração á midia que aderir a estas a estas regulamentações, propostas pelos acordos internacionais, implicaria em destruir milhões de empregos e prejudicar a economia dos EUA, e que o assunto das emissões de CO2 são irrelevantes!

Ao clicar no útlimo texto em vermelho, você terá acesso às gravações destas declarações, feitas pela mídia dos EUA, inconformada com o cinismo do entrevistado, que, sem nenhum pudor, diz que “mudou de idéia” sobre o assunto. Interessante a mudança de opinião ter ocorrido imediatamente após as eleições…

Deixamos aqui nossa solideriadade às vítimas das chuvas na região da serra do estado do Rio de Janeiro, e enfatizamos nossa mobilização em retransmitir, através de nosso Twitter, todas as informações sobre as entidades arrecadadoras de doações para os desabrigados, as solicitações de doações de sangue para os feridos, ao que nos dedicaremos enquanto a emergência estiver em andamento. Insistimos em ressaltar que estas catástrofes tem dimensões planetárias e em alertar a importância de  uma mobilização de parte da população mundial, para pressionar os países resitentes ás medidas para regulamentação das emissões de CO2, principalmente CHINA e EUA, de maneira que sejam forçados a declinar de suas posições atuais, ou assumir diante do mundo o seu papel de assassinos em massa, responsáveis pelo massacre de milhares de pessoas em várias regiões do Planeta. Somos todos navegantes de uma mesma nave, a TERRA e temos que articular políticas planetárias para evitar que situações piores ocorram daqui para frente.

Além do Brasil e Austrália, outros 3 países enfrentam agora chuvas de volumes catastróficos. No SRI LANKA, Índia, as imagens dos desabrigados são familiares, mas de lá veio uma das imagens mais chocantes deste desatre ambiental: Um filhote de elefante, morto pelas águas, pendurado na copa de uma árvore após a vazante. Nas FILIPINAS já são 47 mortos e 400 mil desabrigados, por chuvas que não param desde o Natal. Um terço do país foi arrasado pelas cheias, com estradas e pontes destruidas, além das plantações de milho e arroz.

A Alemanha vem enfrentando enchentes catastróficas, como foi agora aqui no Brasil, desde 2002, quando teve a MAIOR ENCHENTE DA SUA HISTÓRIA. As cheias transbordaram, além do Elba, o rio Mude, o Danúbio, o Inn atingindo Áustria, República Tcheca, Rússia, sul da França, Suiça, norte da Itália e em Veneza o nível das águas alcançou o novo récord. Os temporais são violentos, com granizo do tamanho de pêssegos, pesando até 700 g.
Para encerrar, destacamos a diferença entre as autoridades que lidam com a catástrofe ecológica na Alemanha, e as dos outros países.

Primeiro, eles admitem  que o desastre é causado pelo aquecimento global do planeta, e o ministro alemão do Meio Ambiente, Jürgen Trittin, pediu esforços internacionais mais firmes para reduzir a emissão dos gases que provocam o efeito estufa. “Seria bom se outras nações fizessem tanto quanto a Alemanha em defesa do clima mundial”, disse o ministro. Trittin lembrou que o governo Schröder comprometeu-se a reduzir a emissão de dióxido de carbono (CO2) em 21% e já alcançou os 19%. Ele classificou os acordos internacionais fechados até agora como um primeiro passo importante, porém insuficiente. Em segundo lugar, desde 2002, medidas ambientais efetivas vem sendo tomadas, além de políticas públicas que diminuiram o impacto das cheias sobre a população e sobre a economia do País.

O diretor do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Klaus Töpfer, também exortou as nações industriais a assumirem maior responsabilidade. Ele considera indispensável tanto poupar energia como continuar desenvolvendo as energias renováveis. O ex-ministro alemão do Meio Ambiente não tem dúvidas de que as recentes catástrofes climáticas sejam, em parte, obra humana, uma tendência a ser “maciçamente combatida”. Quem sabe, um dia, nossos governantes estejam neste nível de consciência e competência, ou pelo menos, até lá, deixem a MARINA SILVA e o ABERLARDO BAYAMA trabalharem…