Bill

Got Ya! Os Clinton são financiados pelo Estado Islâmico.

Bill

Investigações das finanças de Bill Clinton comprovam que ele recebeu milhões da GEMS Education, sediada em Dubai, que dedica-se ao ensino da LEI SHARIA, conjunto de leis que regulam o Estado Islâmico. Bill Clinton foi também PRESIDENTE HONORÁRIO desta empresa,  <—CLIQUE ALI PARA ABRIR O ARTIGO ORIGINAL de acordo com registros de suas declarações de renda, referentes á sua remuneração como tal. Além desta remuneração para Bill, pessoalmente, a FUNDAÇÃO CLINTON recebeu doações milionárias da mesma empresa. Os registros são das declarações de 2014, e aguarda-se as declarações de 2015 do casal Clinton para acompanhar a continuidade destes financiamentos, e o desenvolvimento deste relacionamento.

3500

Os e-mails disponibilizados para consulta pelo site WikiLeaks em 22 de julho de 2016, <—CLIQUE ALI PARA ABRIR A PÁGINA ORIGINAL ( e-mails estes que revelam as atividades dos 7 principais responsáveis pelo DCN – Comitê Nacional dos Democratas, responsáveis pela articulação da campanha presidencial de Hillary ), foram os responsáveis por desencadear estas investigações nas finanças do casal Clinton, pois revelaram graves irregularidades, não só financeiras, pois também deram base para investigação criminal. Este vazamento recente foi denominado por Julian Assange como a parte 1 do “Hillary Leaks”, e garantiu que a segunda parte irá “levar Hillary para a cadeia” <—CLIQUE ALI PARA ABRIR O ARTIGO ORIGINAL . Hillary

A prova do financiamento dos Clinton pela GEMS Education, de seu estreito relacionamento com as bases de expansão do estado Islâmico encaixam com os primeiros e-mails de Hillary que vazaram, documentando o envolvimento dela com a guerra da Líbia, Síria e outros conflitos, os quais você pode consultar clicando –> AQUI . Estas primeiras revelações ainda não faziam tanto sentido quanto agora, e certamente estas revelações acabaram com a campanha eleitoral de Hillary. A mídia de esquerda ( financiada pelos Democratas ) chegou a inventar (como fazem aqui no Brasil) um relacionamento de Assange com Putin, como se o dono do WikiLeaks <–(CLIQUE ALI PARA LER ARTIGO ORIGINAL NO “THE GUARDIAN”) fosse prestar-se a ser um reles marionete nas mãos de Putin, para derrubar Hillary. Acontece que: primeiro -> NÃO É Hillary que Putin deseja atrapalhar, e segundo -> quem atrapalharia Putin e Erdogan, de fato, é Donald Trump. Eu explico porque: Donald Trump não precisa do dinheiro dos Emirados Árabes, e tem uma orientação moral de quem vai, de verdade, defender os EUA dos terroristas muçulmanos, além de aproximar novamente os EUA de Israel. Este é o maior pesadelo dos aliados que pretendem invadir o mundo ocidental com a SHARIA: Israel voltar a ser aliada dos EUA, e Donald Trump certamente fará isto. Por isto ele é DEMONIZADO pela mídia esquerdista, na tentativa de impedir que ele conduza os EUA a um “retrocesso”, que é, como nós bem sabemos aqui no Brasil, o modo como os socialistas se referem a políticas que retornam a forma como as instituições estavam, antes de serem manobradas pelos jihadistas e seus aliados.

Os Clinton underwood

Os “Clinton Underwood”

Até agora, os documentos revelam que Hillary está envolvida desde suporte a grupos que desencadeiam conflitos e genocídio no Oriente Médio até tráfico humano, e se isso ainda não é o pior, ninguém pode nem imaginar o que ainda está para ser revelado, através do Hillary Leaks parte II.

Austália

NASA E NOAA EMITEM ALERTA PARA INUNDAÇÕES

2005  foi o ano mais quente registrado, desde que inciaram as medições, em 1880. A NASA e o NOAA, os dois maiores observatórios climáticos dos EUA, apontam que 2011 já alcançou esta marca, e concordam que as emissões de CO2 são a principal causa do fenômeno conhecido como AQUECIMENTO GLOBAL. A imagem ao lado foi captada via satélite pela NASA e ilustra as dimensões catastróficas das enchentes que ocorrem neste momento na AUSTRÁLIA, as quais não podemos deixar de relacionar com as catástrofes que ocorrem simultaneamente na região serrana do estado do Rio de Janeiro. A Defesa Civil contabiliza, até 14/01/2011 540 mortos, além de milhares de desabrigados e feridos, no que é a maior tragédia natural da história do Brasil. Os principais países emissores de CO2 hoje são a CHINA e os EUA, articuladores entre si de políticas não oficiais para ignorar as mobilizações internacionais das instituições encarregadas de implantar políticas e leis de regulamentação planetárias para estas emissões.

O atual Presidente do Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos Deputados dos EUA, FRED UPTON, que antes de assumir seu cargo tinha um discurso preocupado com o “grave problema” das mudanças climáticas globais, acaba de fazer uma declaração á midia que aderir a estas a estas regulamentações, propostas pelos acordos internacionais, implicaria em destruir milhões de empregos e prejudicar a economia dos EUA, e que o assunto das emissões de CO2 são irrelevantes!

Ao clicar no útlimo texto em vermelho, você terá acesso às gravações destas declarações, feitas pela mídia dos EUA, inconformada com o cinismo do entrevistado, que, sem nenhum pudor, diz que “mudou de idéia” sobre o assunto. Interessante a mudança de opinião ter ocorrido imediatamente após as eleições…

Deixamos aqui nossa solideriadade às vítimas das chuvas na região da serra do estado do Rio de Janeiro, e enfatizamos nossa mobilização em retransmitir, através de nosso Twitter, todas as informações sobre as entidades arrecadadoras de doações para os desabrigados, as solicitações de doações de sangue para os feridos, ao que nos dedicaremos enquanto a emergência estiver em andamento. Insistimos em ressaltar que estas catástrofes tem dimensões planetárias e em alertar a importância de  uma mobilização de parte da população mundial, para pressionar os países resitentes ás medidas para regulamentação das emissões de CO2, principalmente CHINA e EUA, de maneira que sejam forçados a declinar de suas posições atuais, ou assumir diante do mundo o seu papel de assassinos em massa, responsáveis pelo massacre de milhares de pessoas em várias regiões do Planeta. Somos todos navegantes de uma mesma nave, a TERRA e temos que articular políticas planetárias para evitar que situações piores ocorram daqui para frente.

Além do Brasil e Austrália, outros 3 países enfrentam agora chuvas de volumes catastróficos. No SRI LANKA, Índia, as imagens dos desabrigados são familiares, mas de lá veio uma das imagens mais chocantes deste desatre ambiental: Um filhote de elefante, morto pelas águas, pendurado na copa de uma árvore após a vazante. Nas FILIPINAS já são 47 mortos e 400 mil desabrigados, por chuvas que não param desde o Natal. Um terço do país foi arrasado pelas cheias, com estradas e pontes destruidas, além das plantações de milho e arroz.

A Alemanha vem enfrentando enchentes catastróficas, como foi agora aqui no Brasil, desde 2002, quando teve a MAIOR ENCHENTE DA SUA HISTÓRIA. As cheias transbordaram, além do Elba, o rio Mude, o Danúbio, o Inn atingindo Áustria, República Tcheca, Rússia, sul da França, Suiça, norte da Itália e em Veneza o nível das águas alcançou o novo récord. Os temporais são violentos, com granizo do tamanho de pêssegos, pesando até 700 g.
Para encerrar, destacamos a diferença entre as autoridades que lidam com a catástrofe ecológica na Alemanha, e as dos outros países.

Primeiro, eles admitem  que o desastre é causado pelo aquecimento global do planeta, e o ministro alemão do Meio Ambiente, Jürgen Trittin, pediu esforços internacionais mais firmes para reduzir a emissão dos gases que provocam o efeito estufa. “Seria bom se outras nações fizessem tanto quanto a Alemanha em defesa do clima mundial”, disse o ministro. Trittin lembrou que o governo Schröder comprometeu-se a reduzir a emissão de dióxido de carbono (CO2) em 21% e já alcançou os 19%. Ele classificou os acordos internacionais fechados até agora como um primeiro passo importante, porém insuficiente. Em segundo lugar, desde 2002, medidas ambientais efetivas vem sendo tomadas, além de políticas públicas que diminuiram o impacto das cheias sobre a população e sobre a economia do País.

O diretor do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Klaus Töpfer, também exortou as nações industriais a assumirem maior responsabilidade. Ele considera indispensável tanto poupar energia como continuar desenvolvendo as energias renováveis. O ex-ministro alemão do Meio Ambiente não tem dúvidas de que as recentes catástrofes climáticas sejam, em parte, obra humana, uma tendência a ser “maciçamente combatida”. Quem sabe, um dia, nossos governantes estejam neste nível de consciência e competência, ou pelo menos, até lá, deixem a MARINA SILVA e o ABERLARDO BAYAMA trabalharem…

 

Mundo Bipolar

NEM VERMELHO NEM AZUL – O MUNDO BIPOLAR

Sinceramente pensei que com o fim da Guerra Fria e com a queda do Muro de Berlim estava extinto o Mundo Bipolar. Acreditei que era o fim do pensamento cindido, viciado em separar tudo em duas pastas: Certo ou Errado, Bom ou Ruim, etc. Nestas manifestações coletivas de quebra da barreira divisória, vislumbrei o início da integração dos tais “lados”, da unificação dos aspectos diversos numa só idéia.
Agora o vício de julgar iria ceder em favor do exercício de ponderar, refletir, considerar o terceiro, quarto, quinto elemento na formação de uma opinião. Iríamos tomar mais tempo digerindo as coisas, teríamos mais cuidado antes de chegar às conlcusões.
Já faz tanto tempo que o pluralismo partidário se estabeleceu nesta nação, fomos libertos daquele modelozinho da Guerra da Secessão, onde tiranos reacionários lutavam para manter seus latifúndios e seus escravos a salvo da ameaça da industrialização, que queria libertar as massas para transformá-las em operários para suas máquinas. Nossa versão dessa dualidade era ARENA X MBD, os vermelinhos contra os azuizinhos de sempre.
Acho que me enganei, ou então continuo com aquele problema do qual já me alertaram alguns amigos. O visionário perturba as pessoas à sua volta anunciando coisas para as quais ainda não se cumpriram etapas necessárias para facilitar a digestão, principalmente de conceitos que envolvem a coletividade. Numa ocasião, lá em Rio Branco, Acre, me disse um amigo: “O seu problema é que só uns cinco anos depois a gente vai entender o motivo de você ter falado determinada coisa, pra qual a gente nem tava preparado pra ouvir.” Ele tinha razão, e isso não era nada nem parecido com um elogio, motivo pelo qual lamentei o transtorno causado a ele, na época.

Eu votei no Lula desde a sua primeira candidatura, em 1980, e votei, votei todas as vezes, até que ele foi eleito, finalmente. Desde a primeira vez eu o vi na presidência, o Brasil precisava dele. Nossa nação precisava deslocar-se para o extremo oposto de seu comodismo, sua alienação absoluta, sua passividade, seu conformismo, sua falta de memória política. O Brasil precisava fazer um fast motion histórico para passar pelas etapas que o resto do mundo passava enquanto estávamos na letargia da ditadura, anestesiados e desconectados do movimento planetário, devido às manobras sempre usadas pelos sistemas totalitaristas, as de fechar as comunicações com o resto do mundo e censurar as liberdades de pensamento e expressão. Ficamos 30 anos congelados e tínhamos que queimar essas etapas, mas agora chega!

Não é necessário que tenhamos que nos afundar no totalitarismo socialista, porque não é necessário tomar veneno pra saber que mata! Podemos aprender com a experiência de outras nações, podemos olhar para a China e refletir se é isso que desejamos pra nós. Será que queremos ser todos iguaizinhos e viver como um exército de operários, para que alguns tenham poder e vida abastada?  Queremos ser massa de manobra para que alguns consigam alcançar seus objetivos à custa da miséria do povo do mesmo jeito que o Capitalismo faz? Eu sei que não quero isso pra mim.
Sei também que minhas preocupações são com as péssimas condições ambientais em que se encontra o planeta,  e também com o fato de que as políticas devem ser repensadas e reeditadas para adequar-se às necessidades de uma superpopulação, que não tem mais recursos naturais suficientes para manter uma qualidade de vida razoável no planeta. Sei também que o comportamento das espécies que convivem em espaços reduzidos apresentam mudanças drásticas de comportamento, desenvolvendo hostilidades e hábitos maníacos inexistentes em sua natureza. Essas mudanças de hábitos e comportamentos alterados começam a se manifestar cada vez mais frequetemente na espécie humana e o volume de transtornos de personalidade  já é epidêmico. São estas as minhas preocupações, por isso, nem vermelho da estrela do PT, nem azulzinho de tucano. Meu voto é verde! Por enquanto… Voto verde na cabocla nascida numa casa de seringueiros, em Rio Branco, Acre, lá na floresta, mesmo. Acompanhou a militância de Chico Mendes, ao lado de quem fundou a CUT do Acre. Para cursar a faculdade precisou morar de favor primeiro na igreja, depois na sede do PT, e foi cavando sua trilha com determinação de guerreira: Vereadora, deputada, lutou contra as sequelas por contaminação de metais pesados, que a contaminaram quando ainda vivia no seringal, na miséria de onde saiu, porque é Marina Silva. Ela chega onde quiser chegar, porque é Marina Silva, a presidente do meu Brasil.
Aproveitamos para divulgar a noite de autógrafos do livro de ALFREDO SIRKIS pela EDITORA NOVA FRONTEIRA que acontecerá no dia 03 de outubro de 2011, na Livraria Cultura do Shoppin Villa-Lobos, em São Paulo. O convite nos chegou por e-mail, pelo que agradecemos. Clicando no convite, vc terá acesso ao site sobre o livro, com trechos para dowload e também vídeos com a opinião dos formadores de opinião do nosso País sobre o livro O EFEITO MARINA.