533562_491638620868899_663104669_n

MOBILIZAÇÃO NACIONAL CONTRA O GENOCÍDIO INDÍGENA NO BRASIL

Documentando a causa da Mobilização Nacional, um FAZENDEIRO DE PARANHOS/MS anuncia o GENOCÍDIO dos indígenas da aldeia de Arroio Kora, e diz que fala em nome de todos os fazendeiros da região: “A Polícia Federal está sabendo, o Prefeito, o governo, todos sabem. Armas tem aí pra vender, aqui ao lado no Paraguai. Se é guerra que eles querem, então vamos pra guerra!”


A Mobilização nacional contra o genocídio de indígenas no Brasil tem como objetivo INIBIR os ataques, tocaias, assassinatos EM PRAÇA PÚBLICA, diante de testemunhas, sem nenhum constrangimento, próprio de quem tem O AVAL das autoridades  e garantia de IMPUNIDADE. Tem também o objetivo de EXIGIR a demarcação das terras e a publicação, por parte da FUNAI da lista de terras que já foram homologadas, lista esta que ninguém consegue ter acesso. Iremos postando o conteúdo referente aos 52 eventos programados para hoje, sendo 49 em território nacional e 3 na Europa.

Debaixo de chuva, enfrentando todo tipo de dificuldade durante a organização do evento, inclusive infiltrações de TROLLs para desarticular o protesto do VÃO DO MASP, essa juventude paulistana, mais uma vez, é vencedora. Não se deixam intimidar por vozes de comandos nem se sujeitam a “representantes” seja lá do que for. Eles estão aptos a pensar por si próprios, tirar suas conclusões e resolver suas diferenças. eles sabem como São Paulo respira e como é que a cidade fala para o brasil e para o mundo quando quer que ouçam sua voz.

Na ALDEIA MARACANÃ, onde houve concentração do evento no Rio de Janeiro, foram confeccionados cartazes e pinturas para que todos fizessem parte de uma só TEKOHA. Logo em seguida a marcha de protesto percorreu as imediações do estádio do Maracanã, onde vários imóveis estão sendo desapropriados para serem DEMOLIDOS, inculsive O MUSEU DO ÍNDIO, fundado por Darci Ribeiro, que abriga vários moradores de variadas etnias. Hoje somos TODOS GUARANI-KAIOWÁA

Em Porto Alegre após a concentração no Largo Glênio Peres, a passeata subiu a Av Borges de Medeiros, itinerário também tradicional das insurgências gaúchas. Cada cidade tem sua trilha de desobediência civil, uma praça onde se articulam os indignados, uma via de marchar na contra-mão do sentido obrigatório.

Em Belo Horizonte a chuva inibiu a muitos que estavam dispostos a participar das manifestações, mas as caras foram pintadas e o ato público de repúdio ao genocídio no MS ficou registrado na capital mineira.

A seguir a PETIÇÃO, que depende apenas de um click da sua parte para transformar-se em um documento histórico, que poderá ser capaz de fazer aquilo que sonham muitos militantes nesse país, há MUITAS GERAÇÕES: INIBIR definitivamente o GENOCÍDIO INDÍGENA no BRASIL e forçar o Governo Federal a parar a procrastinação com a demarcação das terras indígenas, cumprindo a CONSTITUIÇÃO. Só queremos que a LEI SEJA RESPEITADA, que os direitos dos cidadãos sejam respeitados, e que a impunidade tenha fim, pois não suportamos mais saber que os assassinatos de lideranças e extermínio em massa continue IMPUNEMENTE em um país que se diz preparado para sediar os dois eventos mundiais mais importantes. Basta clicar no banner e assinar. Não leva 5 minutos e pode mudar a história das nações indígenas no Brasil. Finalmente uma mensagem da lidrança VALDENIR MUNDURUKU, com sua voz triste e mansa, duas palavras que definem a natureza dos povos originários do Brasil hoje. Fica aqui o registro do que foi o 9N, Dia Nacional de Protesto contra o GENOCÍDIO dos Guarani-Kaiowáa. O Primeiro de MUITOS que virão.

CHEVRON MATA, DESTRÓI,ENVENENA e NINGUÉM IMPEDE!

São 25 autuações por vazamentos em águas brasileiras. Foram estipuladas multas bilionárias, a título de indenização pelo envenenamento do nosso litoral, em duas ações judiciais consecutivas. As 25 autuações são por diversas irregularidades, como usar equipamento sucateado, perfurar até a camada do Pré-Sal no Poço do Frade SEM A PERMISSÃO da  Agência Nacional do Petróleo (ANP), e mais uma infinidade de atitudes que são UMA AFRONTA  à nação brasileira, típica de quem está acima de qualquer tipo de punição, protegido pelo poder que comanda TODOS OS GOVERNOS, inclusive o brasileiro.

derrame-chevron-brasil-nov2011-greenpeace

O Brasil perde royalties que o colocariam em situação de vantagem econômica internacional, o que me leva a crer que essa situação toda é criada justamente com este propósito, danificar um patromônio que está fazendo o Brasil emergir rapidamente. Nosso litoral, além de ser um manancial enorme de petróleo, é também o melhor destino de praias do mundo, sendo Búzios hoje detentor deste título, que foi anteriormente de Ibiza. Mais sério do que isso é o desastre ambiental, pois a BACIA DE CAMPOS é rota migratória de animais silvestres, como as BALEIAS JUBARTE, BALEIA BRANCA DO SUL e BALEIA-DE-BRYDE, além de 20 a 25 espécies de golfinhos e pequenos cetáceos ameaçados de extinção. O local do acidente também é parte da via migratória de muitas espécies de aves marinhas. Ficamos suspeitando que essa ação faz parte de um plano de extermínio premeditado…

A TRANSOCEAN, operadora da sonda no Poço do Frade, tem um histórico de desastres avassaladores, como o ocorrido no Golfo do México em 22 de abril de 2010, pelo qual entrou em guerra judicial contra a BRITISH PETROLEUM (BP), ambas tentando atribuir à outra a responsabilidade pela explosão, que deixou 11 mortos, um rombo financeiro incalculável e o título de MAIOR DESASTRE AMBIENTAL DA HISTÓRIA DOS EUA. Minha opinião é que a “batalha jdicial” foi um jogo combinado entre as duas companhias para preterir as indenizações, dispersar os inquéritos e ganhar tempo para… só Deus sabe o que mais! Tem coisas que é melhor nem falar, mesmo porque, pra bom entendedor, um pingo é letra.

US-BLAST-OIL-ENERGY-SINKS

Ainda assim não tem quem faça isso parar, é como esse fogo: Ninguém apaga. Ele queima até na própria água, não há quem impeça que ele siga devastando, consumindo, devorando. Pensei em colocar o vídeo feito pelo Greenpeace nesta ocasião, quando ao sobrevoar a mancha de óleo, captou imagens de um cardume de golfinhos sendo queimados vivos, tentando desesperadamente livrar-se do óleo em chamas, grudado em seus corpos, mas preferi não ver aquilo novamente. Não precisamos ver mais nada. Optei também em dar ênfase ao que a CHEVRON, chamada de  CHERNOBIL DA AMAZÔNIA,vem causando aos equatorenhos nativos da região amazônica. Há vinte anos as comunidades nativas lutam na justiça para impedir a CHEVRON de devastar, envenenar, matar, promover deficiência física e afligir aos 30.000 indígenas e agricultores da amazônia equatorenha. eles também lutam por indenizações e restauração do meio ambiente do qual dependem para viver.

O fato mais absurdo deste contexto é que os nativos, assim como a floresta e sua fauna, estão morrendo porque NÃO EXISTE MAIS ÁGUA POTÁVEL na região! Não há água limpa, nem para beber, nem para a irrigação. NA AMAZÔNIA! Eles estão lá, HÁ VINTE ANOS! Não há quem os aranque de lá. A terra da floresta está sendo infiltrada, através dos rios, por água contaminada com óleo! Convença-me de que não é de propósito, uma estratégia para contaminar os mananciais e promover o genocídio em massa! Veja que é um cerco, há um mapeamento estratégico sendo executado. São riquezas inalculáveis, que ainda tem donos… donos que atrapalham a invasão e o saque. São proprietários numerosos e obstinados em lutar pelo que é seu. Somos os 99%!